7 dicas para otimizar a gestão tributária nas empresas

7 dicas para otimizar a gestão tributária nas empresas
3 de setembro de 2018 Administrador do site Tributtarium

O Brasil é o país que apresenta a maior carga tributária da América Latina. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o contribuinte brasileiro desembola o equivalente a 33% da economia em tributos, número que evidencia a importância da gestão tributária nas empresas.

A melhor maneira de lidar com esse impacto é se prevenindo e evitando a sonegação (algo que pode trazer problemas maiores). Uma boa gestão tributária permite à organização melhor adequação às suas atividades e às exigências legais para reduzir gastos com impostos e tarifas, entre outros.

Continue lendo este artigo para saber mais sobre a importância da gestão tributária para o seu negócio e as principais dicas de como torná-la mais eficiente.

O conceito de evasão fiscal

A evasão fiscal é o ato de deixar de relatar tributos, declarar sem precisão ou deixar de efetuar o pagamento dos mesmos. Essa prática infringe a Lei dos Crimes contra a Ordem Tributária, Econômica e Contra as Relações de Consumo (Lei n° 8.137/90) e as penalidades podem ser significativas, incluindo multas e até mesmo prisão.

Com a informatização dos processos contábeis, ficou mais fácil para as autoridades fiscais detectarem atividades incomuns, que podem desencadear fiscalizações e auditorias. Entre essas atividades, podem ser citados:

  • registros inadequados;
  • falha no envio de declarações fiscais;
  • explicações implausíveis ou inconsistentes de comportamento fiscal;
  • ocultação de ativos;
  • falta de cooperação com as autoridades fiscais;
  • engajamento em atividades ilegais;
  • tentativa de esconder atividades ilegais;
  • negociações em dinheiro;
  • falta de pagamentos de impostos estimados.

Dessa forma, aprender mais sobre gestão tributária, contratar um contador experiente e utilizar ferramentas informatizadas pode garantir a saúde financeira do seu negócio, bem como minimizar a possibilidade de problemas tributários.

Os erros mais comuns de gestão tributária

A gestão tributária consiste em saber gerenciar os impostos e as contribuições de uma empresa, com o objetivo de planejar e controlar suas operações. Entretanto, diante da burocracia brasileira, essa é uma função complexa, o que pode levar os empresários a cometerem erros nesse processo.

A falta de planejamento fiscal é um dos principais motivos que levam as empresas à falência. Sem esse controle, é possível que sua empresa pague mais impostos que o necessário ou mesmo deixe de pagar algo importante, o que a tornará passível de pagamento de multas.

No momento de abertura, são tantos os detalhes quanto ao regime tributário que o empresário pode acabar escolhendo um tipo que não lhe traga vantagens financeiras. Por isso, é necessário uma consultoria tributária para poder escolher a melhor opção para sua empresa.

Outro erro comum é ignorar as mudanças nas leis contábeis. Regras, procedimentos e leis mudam a todo momento, e deixar de acompanhar essas alterações pode colocar o seu negócio em risco. Assim, é preciso manter-se sempre informado e atualizado quanto à legislação brasileira.

Pensando nisso, seguem 7 dicas para você melhora a gestão tributária do seu negócio, evitando erros e prejuízos.

1. Invista no planejamento tributário

Prevenir é sempre melhor do que remediar, já diz o ditado. Por isso, planejar-se para os tributos é algo que permite à empresa programar as ações antes da incidência do fato gerador, o que é perfeitamente legal.

O planejamento envolve uma série de procedimentos que visam tornar a atividade mais econômica. Com ele, sua empresa pode se beneficiar de incentivos fiscais, por exemplo, e assim direcionar seus impostos para determinados projetos e economizar em divulgação.

Realize o planejamento tributário antes de dar início ao empreendimento, anualmente e sempre que sentir que é necessário economizar com tributos.

2. Realize o enquadramento tributário

Sua empresa tem garantido por lei o direito de escolher como será realizado o cálculo de seus tributos. Isso pode ser feito anualmente com a definição do enquadramento tributário. No Brasil, temos disponíveis quatro modalidades com perfis diferentes, são eles:

  • Simples Nacional;
  • Lucro Real;
  • Lucro Presumido;
  • Lucro Arbitrado.

Avalie fatores como o faturamento anual e o tipo de atividade realizados pela empresa para fazer a melhor escolha. Optando pelo regime mais compatível com seu empreendimento, você tem condições de economizar consideravelmente.

3. Contrate um especialista

As ações anteriormente citadas exigem certo grau de conhecimento em serviços contábeis, o que torna fundamental a recomendação de um especialista na área.

Além disso, questões que envolvem a legislação brasileira e outras exigências como o SPED, por exemplo, também costumam ser motivos fortes o bastante para que uma empresa evite a figura do profissional “faz tudo” e invista no trabalho de um contador.

4. Realize auditorias

Os auditores têm a função de revisar se os procedimentos contábeis realizados pelas empresas estão de acordo com a legislação vigente. Quando são feitos por equipes capacitadas, esses processos permitem identificar erros e corrigir procedimentos problemáticos que podem levar as organizações a problemas na justiça. Por isso, invista em auditorias sempre que julgar necessário e fique livre de problemas legais.

5. Aproveite créditos e benefícios fiscais

Dependendo de diversos fatores locais e legais, é possível que sua empresa tenha direito a receber isenções tributárias ou reduções de alíquotas. Para as pequenas e médias empresas, por exemplo, um benefício é a possibilidade de estornar valores pagos em tributos, tendo como base os pagamentos do PIS e Cofins ou do ICMS e IPI, respectivamente.

6. Atualize os registros periodicamente

A principal utilidade da escrituração contábil é que ela funcionará como um meio de defesa, prevenção e controle do patrimônio da sua empresa. É fundamental que todos os registros financeiros do seu negócio sejam atualizados periodicamente, evitando esquecimentos ou erros de lançamentos.

A falta desse registro também é considerado um ato criminoso, pois, pelo Novo Código Civil Brasileiro, todo empresário é obrigado a manter um sistema contábil.

Além disso, com o histórico de registros é possível monitorar gargalos financeiros ou itens que estão drenando o dinheiro da sua empresa.

7. Automatize processos com um software de gestão

Para lidar com toda a parte administrativa e operacional do empreendimento de maneira mais eficaz, é possível contar com ferramentas modernas. E isso é útil pois permite uma gestão mais precisa, com a geração de dados e informações pertinentes para a melhor tomada de decisão do gestor.

Com a implantação das notas fiscais eletrônicas e do SPED, pelo Governo Federal, é natural que as empresas informatizem o seu setor contábil. Hoje, existem soluções no mercado para emissão de documentosarmazenamento de informações em nuvem e controle fiscal numa única plataforma.

Dessa forma, com um bom sistema de gestão tributária é possível otimizar processos, proteger dados e garantir o futuro do seu negócio.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*